The Handmaid's Tale, Las Chicas del Cable, Polytechnique e a importância da luta diária pelos direitos da mulher

,
Durante basicamente toda história da humanidade, as mulheres foram subjugadas em relação aos homens, numa estrutura social moldada no patriarcado. O feminismo não é, nem nunca foi uma escapatória, mas sim, uma revolução diária, que todos deveríamos participar independente de ser ou não “nossa batalha”, posições de privilegio herdadas ou conquistadas só aumentam nosso dever moral com minorias e desfavorecidos hierarquicamente, e a empatia que ainda nos falta nessa era das polarizações e dos extremismos, só afasta e divide as lutas em seus próprios grupos, impedindo ou pelo menos dificultando o sucesso de conquistas que parecem simples pra quem não está do lado desfavorecido.

Las Chicas del Cable (2017)
E em meio a luta das sufragistas na Europa para legitimar o direito ao voto das mulheres, na produção da Netflix, Las Chicas del Cable, ou As Telefonistas, por volta de 1920, conhecemos quatro mulheres contratadas recentemente como operadoras de uma companhia telefônica em Madrid, e em meio aos backgrounds e dramas de cada uma, vamos reconhecendo as opressões do dia a dia e sonhando/torcendo por suas conquistas por liberdade de expressão e direitos. É um novelão espanhol com figurino impecável, vide La Casa de Papel, mas que mesmo te enrolando às vezes - como praticamente toda série hoje em dia faz -, te cativa e deixa mais ansioso para saber o que essas mulheres empoderadas ainda podem conquistar.

Polytechnique (2009)
Em Polytechnique, Denis Villeneuve, mostra um pouco do que aconteceu no famoso ataque a Escola Politécnica de Montreal no Canadá, onde em 1989, 14 mulheres foram assassinadas e mais 10 foram feridas, vítimas de um ataque machista e misógino por parte de um estudante chamado Marc Lépine. A tragédia marcou o país, e teve repercussão mundial, não somente pela brutalidade e número de vítimas, mas pelo conteúdo explícito de violência de gênero no episódio, onde Marc separou homens e mulheres, antes de atirar contra elas alegando estar lutando contra o feminismo. Apesar das fatalidades, o ataque foi um marco da luta contra o feminicídio, gerando várias discussões sobre violência contra a mulher e sobre as motivações de Marc, que havia deixado uma carta suicida que incluía uma lista de 19 mulheres que ele desejava matar, por considera-las feministas. Fato é que, cada dia mais, por estarmos numa era de fluxo de informação intenso, não temos controle sobre como essa info nos é passada, vide o próprio caso, que precisou de mais de 1 ano, processos e informações vazadas para descobrirmos o real conteúdo da carta de Lépine (Can I trust someone?). É um filme relativamente forte, mas que é necessário ser visto e discutido.

The Handmaid's Tale (2017)
A série da Hulu, The Handmaid's Tale, nos apresenta uma sociedade distópica, governada por um fundamentalismo religioso que trata as mulheres como propriedade do estado, usando as poucas mulheres férteis restantes, as obrigando à uma servidão sexual como uma última tentativa desesperada para repovoar um mundo devastado por desastres ambientais e uma baixa taxa de natalidade. É louvável o quão bem produzida e executada essa série é, ao ponto de partir nosso coração de tão assustador que é ou pode ser um futuro que nem parece tão distante da nossa realidade. Mesmo estando em um momento onde temos uma maior liberdade de expressão, é um choque total de como e pra onde o mundo está caminhando. Quando o direito popular é desrespeitado, isso afeta a todos, não só aos menos favorecidos, e esse pra mim sempre foi um dos principais problemas na nossa sociedade, a ultra rotulação de tudo, que mais uma vez, só distancia os grupos e some completamente com o senso de unidade de sofredores que todos nós somos, tomara que caso cheguemos a um futuro perto desse, que tenhamos mais Marielles e menos Bolsominions, mais coragem e menos obediência, mais luta e menos medo. 

O mês dá mulher já passou, mas a luta continua, pelo meu, pelo seu, pelo das mulheres, pelo de todos nós, pelo direito de ter uma voz e ser ouvido.
The Handmaid's Tale, Las Chicas del Cable, Polytechnique e a importância da luta diária pelos direitos da mulher The Handmaid's Tale, Las Chicas del Cable, Polytechnique e a importância da luta diária pelos direitos da mulher Reviewed by Bhárbara Andrade on maio 06, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Veja também

Tecnologia do Blogger.