Review | 13 Reasons Why: 2ª Temporada

, ,

Chegou na Netflix a segunda temporada da polêmica 13 Reasons Why, série criada por Brian Yorkey e protagonizada por Dylan Minette e Katherine Langford. Confesso que estava temeroso quanto a essa continuação já série foi um dos assuntos mais comentados no ano passado, gerando debates quanto a irresponsável e midiática maneira da Netflix tratar de um tema delicado como o suicídio.

Em resumo, o serviço de streaming transformou o trágico fim da garota Hannah Baker em um espetáculo, com pouco ou quase nenhum aviso prévio, ignorando inclusive recomendações da Organização Mundial da Saúde sobre como retratar suicídio em uma produção de entretenimento.

Até o seu lançamento, eu segui acreditando que essa segunda temporada era desnecessária. O roteiro da primeira era bom mas com muitas pontas soltas, o que daria sim margem para uma continuação, mas meu medo era justamente de que a história de Hannah e seu suicídio, fosse ainda mais banalizado e que a liberdade artística passasse do ponto já que a série, majoritariamente, tem um público jovem. A depressão e o suicídio são tabus e isso não é saudável, é preciso sim falar sobre e conscientizar a respeito da importância da manutenção da saúde mental. Essa é uma tarefa séria e mesmo no mundo da ficção, dramatizar além do limite pode gerar resultados negativos reais, a OMS, por exemplo, indica que não se mostre explicitamente cenas de suicídio e a cena final da Hannah na primeira temporada é um verdadeiro desserviço.

Falando da nova temporada, me surpreendi positivamente. Foi a oportunidade para explorar outros personagens-chave como Jessica, Tyler, Justin, Bryce e destrinchar a epopeia de Hannah, que permanece sendo a personagem central da história. Algo que continuou me incomodando foi a questão dos “porquês”, essa saga pela culpabilização, os motivos de se tirar uma vida, são inexatos e muito tensos pra se abordar de forma tão paupérrima como acontece aqui. Ainda acredito que 13 Reasons Why seja uma produção irresponsável e imprudente quanto ao seu tema principal.

Como já dito, tudo ainda gira em torno de Hannah e as consequências da sua morte, principalmente para personagens como Tyler e Jéssica e as suas próprias dores. Gostei muito do tom vida real, onde nem sempre os finais são exatamente felizes, já que vivemos num mundo de privilégios naturais, machista, homofóbico, racista. Há uma cena específica ligada a um estupro, muito bem produzida, um choque necessário. Não é nem preciso dizer como a história nos emociona e desestrutura, principalmente aos mais sensíveis! As vezes é preciso lembrar aos mais jovens como algumas atitudes trazem efeitos irreversíveis, algumas decisões podem realmente destruir histórias e como o suicídio é cruel, penoso e irreversível. A própria Netflix nos alerta no início que talvez esta série não seja pra você, pelo menos não em determinados momentos de vulnerabilidade da sua vida, um detalhe agudamente pontual e indispensável, principalmente após toda a repercussão da primeira temporada. O último episódio dá, mais uma vez, margem para continuação que, novamente, se faz dispensável.

Para encerrar, repito a mesma retórica: uma boa série, irresponsável sim, mas que conserta muitos de seus problemas nessa temporada. O elenco jovem é o melhor que 13 Reasons Why tem a oferecer, agradam desde o começo e parecem conseguir salvar muitas, mas não todas, as pontas soltas que o roteiro deixa. Mas, mais uma última vez: talvez você não deva assistir ou ao menos pedir para que um amigo ou alguém de confiança assista com você!

Não custa lembrar que o CVV (Centro de Valorização da Vida) é gratuito e você pode contata-lo pelo ‘188’.
Dito isso, todos os episódios estão disponíveis na Netflix.
Review | 13 Reasons Why: 2ª Temporada Review | 13 Reasons Why: 2ª Temporada Reviewed by Bhárbara Andrade on maio 23, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Veja também

Tecnologia do Blogger.