Grammy 2018: Bruno Mars, Donald Trump e Kendrick Lamar

,
Aconteceu nesse domingo (28) a maior premiação do mundo da música! Trocando dessa vez Los Angeles pela capital mundial Nova York, o Madison Square Garden sediou a 60° edição do Grammy Awards. Esse ano a apresentação foi comandada pelo fofo James Corden, o apresentador do The Late Late Show.

O hip-hop liderou as indicações esse ano com Jay-Z e Kendrick Lamar com o maior número destas - incluindo álbum do ano. Kendrick abriu em grande estilo a premiação com performances icônicas de XXX com participação do U2 e em seguida o rapper entoou DNA. Lady Gaga veio logo em seguida, toda glamourosa no piano com Joanne e Million Reasons. Ed Sheeran levou a melhor na categoria Melhor Canção Pop, e o ruivo não estava lá para subir ao palco o foi um pouquinho constrangedor o momento. A América Latina foi bem representada (ou não?) por Luis Fonsi e Daddy Yankee com o hit global Despacito. A música despontou em 2017 e permaneceu por meses intacta como #1 no topo da parada da Billboard, até ser destronada por Taylor Swift com Look What You Made Me Do. 

Dando voz e vez a arte como uma dos impulsores da educação e sua crucial importância para as futuras gerações, a professora Melissa Salguero recebeu o prêmio por Melhor Educadora de Música! Kendrick Lamar venceu como Melhor Álbum de Rap por DAMN, não tinha como ser diferente! John Legend e Tony Bennett entregaram a Kendrick Lamar e Rihanna por Loyalty, que rendeu o troféu por Melhor Performance de Rap Musical, mas não sem antes darem uma palhinha de New York, New York de Frank Sinatra. Jay-Z foi homenageado como Ícone da Indústria Musical pelo conjunto de sua carreira, onde Corden brincou cantando alguns trechos da, lendária, Empire State of Mind. Na minha opinião, Alessia Cara venceu com todo mérito como Novo Melhor Artista! Bruno Mars e Cardi B fizeram uma gostosa apresentação de Finesse


Aquela que dispensa apresentações, também chamada de Rihanna, performou Wild Thoughts ao lado de Dj Khaled. Kesha continua provando que vêm superando com muita força e glória os tempos difíceis que enfrentou, a garota cantou Praying, numa performance emocionante ao lado de estrelas como Cindy Lauper, Julia Michaels e Camila Cabello. Logo em seguida, Cabello introduziu o, incrível e inspirador, número do U2, fazendo um empoderado discurso sobre imigração e tolerância, mais uma vez remetendo aos tempos difíceis pelos quais os americanos têm enfrentado na era Trump. 

Bruno Mars levou o Grammy de Música do ano por That’s What I Like, do seu álbum 24K Magic. Podemos definir como ICÔNICO, o irônico momento em que diversos artistas e a ex-candidata à presidência Hillary Clinton, leram trechos de Fire and Fury, um livro sobre a vida de Trump na Casa Branca

Elton John e Miley Cyrus fizeram um dos momentos mais lindos da noite, e como, nossa eterna Hannah Montana, estava deslumbrante! Jay-Z, apesar do grande número de indicações, não levou a melhor em nenhuma categoria e foi embora de mãos vazias. Por fim, Kendrick Lamar e Bruno Mars foram os mais agraciados da noite, ganhando 5 e 6 Grammys respectivamente! A categoria mais esperada da noite, Melhor Álbum, ficou com Mars pelo 24K Magic
E ai? Achou as indicações e os vencedores da premiação justos?
Grammy 2018: Bruno Mars, Donald Trump e Kendrick Lamar Grammy 2018: Bruno Mars, Donald Trump e Kendrick Lamar Reviewed by Bhárbara Andrade on janeiro 29, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Veja também

Tecnologia do Blogger.