Música | Younger Now - Miley Cyrus (2017)



Pelo título do álbum - mais jovem agora - já sabemos: Miley renasceu. Como ela mesma diz na faixa-título “me sinto como se tivesse acabado de acordar”, o mais óbvio é que ela se sente novamente “no seu lugar”, que a era bangerz foi não só um período controverso pro público e crítica, como para a própria Cyrus. Mas apesar do que ela possa achar e sentir em relação a si mesma, nós sabemos que bangerz foi um sucesso monumental, deliciosamente polêmico, que alçou Miley ainda mais alto em sua carreira.

Apesar de amar todas as fases dessa cantora tão versátil e multi-facetas, confesso que sempre tive muito carinho pela Miley country, a época de Hannah Montana, um pop gênero se aproximando do sertanejo? Talvez. Brincadeiras a parte, Miley Cyrus é muito provavelmente a maior estrela pop teen desde Britney Spears, sem esquecer de outras, claro - alô Taylor Swift -, mas de uma garota adorada por fãs da Disney à cantora que acompanhou o crescimento e “rebeldia” de seus fãs, Miley mudou e aprendeu muito, deixando muito pouco de lado os holofotes! Escutando o seu álbum novo, é claro o sentimento de retratação com algo ou alguém, a saudades de casa, das suas raízes. Se você viu Hannah Montana: O Filme, vai perceber a semelhança. A intérprete, que antes havia feito declarações polêmicas sobre o que sentia por fazer parte da série de sucesso, agora fez as pazes com Miley Stewart, seu papel na série, e me pego pensando se, de repente, meses atrás Miley assistiu ao filme num momento de nostalgia e sentiu o mesmo que sua personagem quando chega no Tennessee, saudades de suas raízes, o que poderia ter inspirado essa reviravolta na carreira da cantora. 
Smiley Miley, saiba que amamos cada momento seu! Sem mais delongas, vamos dissecar faixa por faixa:

 1. Younger Now 
Se tratando da faixa-título, é óbvio que a primeira música sintetizaria toda a mensagem do álbum “Ninguém continuará sendo sempre o mesmo (...) mudanças são coisas das quais você pode contar”. Sabe quando a gente passa por mil fases na adolescência e depois que cresce faz um flashback interno de tudo que fomos? Miley sabe muito bem e tá contando pra gente. Algumas coisas agradam, outras nem tanto, mas vão fazer parte da nossa construção como seres humanos, pra sempre.

 2. Malibu 
Lembra dos lugares que marcaram sua infância de alguma forma, dos quais você sempre se sente conectado? Então você cresce, muda, muda de novo, e quando volta ali, você consegue sentir de novo aquela energia, aquela sensação de estar em paz, de estar em casa. O tempo passou, mas Malibu mantém a sua magia e talvez agora Miley consiga ver e sentir mais forte a brisa da praia.

 3. Rainbowland 
Pela introdução de Dolly Parton - a tia Dolly de Hannah Montana - eu já consigo ver o videoclipe pronto na minha cabeça: Miley e Dolly dirigindo por uma estrada de terra, os cabelos ao vento. Já quero terra do arco-íris de single Miley, nunca te pedi nada!

 4. Week Without You 
Shade básica pro(a) ex que tava “bringing you down” mas que como a gente não manda no coração, a pessoa continua dando aquele aperto no peito, mas depois que você passar uma semana sem ele (a), sair com os amigos e respirar, vai ficar tudo bem. 

 5. Miss You So Much 
Contrariando o que seria lógico em pensar nessa canção - mais uma vez sobre a pessoa amada, pra mim a Miley tá cantando tanto para o Liam Hemsworth seu noivo, quanto para uma Miley do passado da qual a atual sente falta e quer muito trazer de volta, afinal “como posso sentir tanto a sua falta, quando você está bem aqui?” pode significar muita coisa. 

 6. I Would Die for You 
A desilusão de Cyrus com a Era Bangerz talvez tenha sido motivado por decisões e atitudes pessoais tomadas por ela e das quais ela tenha se arrependido e quer muito que o seu amado saiba que assim como nós, falou e fez uma ou outra bobagem, e que só se deu conta do erro depois do resultado. Mas ela morreria por seu amor, ele é tudo pra ela. Como uma prova de amor. 

 7. Thinkin’ 
Younger Now também pode ser considerado o álbum da DR. Ela vêm pensando muito na relação que têm e naquela que quer ter, o quanto a confiança alimenta e - a falta dela - desgasta a vida a dois. 

 8. Bad Mood 
Clara continuação da canção anterior.  Desta vez ela quer lutar pelo seu relacionamento, mas não sabe até onde vai aguentar, porque acordar mal-humorada todo dia. E então os pensamentos são sobre estar sendo influência de uma rotina desgastante. 

 9. Love Someone 
As coisas não vão bem, Miley está próxima de dizer chega, “desde o dia que te conheci, eu sabia que você não era o cara certo”. O casal da música aparentemente não funciona e já está na hora de cada um procurar o seu próprio espaço. As três músicas fazem uma continuação, como se fossem descrição de um momento ruim do relacionamento. 

 10. She’s not him 
Aqui Miley, já abertamente bissexual - na verdade pansexual - fala de seu relacionamento com uma garota. Sobre a experiência feliz que teve com ela, agradece pelos momentos, mas apesar de tudo, apesar inclusive de algumas pisadas na bola com essa garota, seu coração ainda é de outro. Liam, talvez? 

 11. Inspired 
Pra finalizar esse álbum da p*#ra, temos quase um texto em que Miley narra sua transformação, seus questionamentos diários. Questões que não estão distantes das nossas próprias, sobre quem éramos, quem somos e quem queremos ser, o que nos inspira a crescer e querer nos transformar na melhor versão de nós mesmos todos os dias. O trabalho na nossa autoestima, segurança, inspiração e nosso direito de amar e nos permitir errar, aprender e sermos quem somos, sempre abertos ao novo.

Miley Cyrus, só queria te agradecer por esse discão, pedir mais, dizer que amamos toda e cada era sua, e - se não for pedir muito - implorar por mais uma temporada de Hannah Montana? Meu eu de 12 anos está vivíssimo, e o de vocês? #VemMiley 

Nenhum comentário:

Postar um comentário