ESPECIAL IT | It: A Coisa - Stephen King (1986)



1102 páginas. Sempre que me perguntam se li IT: A Coisa inteiro, respondo cheia de orgulho que sim, tive o prazer de terminar essa leitura. Escrito por Stephen King e publicado em 1986, IT é classificado como ficção americana mesmo quando insistem em classificá-la como terror. Não deixe que a quantidade de páginas te afaste da leitura. 
Foi em 1958, na pacata Derry, que Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido de algumas palavras. Durante as férias escolas, descobriram o que significava amizade, amor, confiança e... medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontram. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade, e somente eles serão capazes de enfrentar a Coisa. O tempo é curto. Mas eles irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites. 
Stephen King é um autor descritivo, ou seja, as cenas de seus livros e seus personagens são colocados nos mínimos detalhes. Durante a introdução dos seis personagens, o Clube dos Otários, as cenas são muito bem elaboradas e as características marcantes de cada um deixa fácil que um pouco mais a frente você se lembre daquele personagem. 

Os temas como bullying, luto, abuso, sexualidade e preconceito são tratados de forma madura afim de derrubar alguns tabus e fazer com que tudo isso possa ser falado com mais naturalidade para que os problemas sejam resolvidos. O sobrenatural é utilizado em metáforas para que a coragem seja desenvolvida, como se de alguma forma, o palhaço fosse uma fase de amadurecimento necessária. 

A morte do irmão de um de nossos protagonistas é a primeira cena e nos deixa chocados, principalmente por ser uma criança e de uma forma tão bem explícita no livro. O que acontece depois disso é que Bill - irmão do garotinho que foi morto pela Coisa - reúne seus amigos e conhece novos, todos sendo expostos a contato com a Coisa no decorrer de um tempo, o que fez com que eles precisem derrotar a entidade. Essa é a primeira parte do livro mas não acontece tão linear assim e sim com em alguns flashbacks entre os anos de 1958 e 1985, onde somos introduzidos e ambientados ao presente dos personagens. 
Vá embora e tente continuar a sorrir. Ouça um pouco de rock-and-roll no rádio e vá em direção a toda vida que existe com toda a coragem que você consegue reunir e toda a crença que tem. Seja verdadeiro, seja corajoso, enfrente. Todo o resto é escuridão.
Vamos ao futuro porque 27 anos depois dos primeiros ataques, Mike liga para o restante do grupo avisando que a Coisa voltou e que eles precisam se reunir em Derry - cidade natal - e derrotar por fim a entidade. A Coisa não tem uma forma única, então não é um palhaço, ela pode aparecer para cada um na forma que mais assusta a vítima seja essa um bicho papão, um abutre ou uma bruxa. Stephen King consegue unir o passado e presente dos personagens de forma interessante, mantendo o ritmo do livro - principalmente do meio para o final - acelerado apesar da quantidade de páginas. 

Um livro sobre amizade, coragem, amadurecimento e descobrimento. No final das mais de mil páginas o que vai restar em sua mente será a lição bonita que King tenta passar muito além de qualquer medo de palhaço ou coisa do tipo. Não deixe de ler a parte 1 do ESPECIAL IT aqui e conferir a crítica do lançamento do filme nessa quinta-feira (07). 


Nenhum comentário:

Postar um comentário