Livro | Deuses Americanos (Neil Gaiman)



Publicado originalmente em 2001 e no Brasil em 2002 pela Editora Conrad, Deuses Americanos é mais uma obra sobre cultura nórdica do escritor e roteirista americano Neil Gaiman. Me interessei pela leitura quando comecei a assistir a série do livro, que em breve vai ter uma crítica sobre a primeira temporada por aqui no blog. Para quem não assistiu, a primeira temporada teve apenas dez episódios e foi encomendada pelo canal Starz.
Então vamos ao livro. A história começa quando somos apresentados ao personagem principal, Shadow, um cara que está preso com uma sentença de 7 anos, que foi reduzida a 3 por bom comportamento, tempo exato em que ele está quando a história tem início. Com apenas três dias faltando para sua soltura, Shadow é liberado antes e vê toda a sua vida do avesso ao perder a esposa, melhor amigo e emprego. Com esse pontapé ele conhece Wednesday, um senhor que lhe oferece emprego. Eles viajam de carro por toda a América, tentando convencer diferentes pessoas a se juntar à causa de Wednesday. Parece superficial explicando assim mas eu quero evitar os spoilers e acredite, cada pequena informação sobre essa história é um spoiler diferente. 

Vamos ao spoiler sutil da história para que eu consiga encaixar a parte nórdica nessa resenha. Você lembra do senhor que ofereceu o emprego ao Shadow? Você se lembra que o nome deste senhor era Wednesday? Bem, se você ainda não conseguiu encaixar as coisas eu vou dar outra dica. Este senhor tem um olho de verdade e outro de vidro e sim, ele é um deus. Ainda não conseguiu adivinhar? Então corre e compra o livro porque não quero diminuir a experiência de ninguém por aqui! 
Existem novos deuses crescendo nos Estados Unidos, apoiando-se em laços cada vez maiores de crenças: deuses de cartão de crédito e de auto-estrada, de internet e de telefone, de rádio, de hospital e de televisão, deuses de plástico, de bipe e de néon. Deuses orgulhosos, gordos e tolos, inchados por sua própria novidade e por sua própria importância. Eles sabem da nossa existência e tem medo de nós, e nos odeiam. Vocês estão se enganando se acreditam que não. Eles vão nos destruir, se puderem. É hora de a gente se agrupar. É hora de agir.
A viagem de carro pela América tem como objetivo salvar os deuses, aqueles que conhecemos pela mitologia. Mas com a mudança dos tempos, novos deuses foram criados, deuses das celebridades, tecnologias, televisão e até do mercado de ações, os novos deuses americanos. Assim, durante a viagem, Shadow e Wednesday estão recrutando deuses para uma guerra entre os deuses antigos e os novos deuses. 

Este é ponto onde o livro se faz um pouco difícil de ler. Há referências demais de deuses, nórdicos, celtas, egípcios, do oeste africano, caribenho, entre outros que infelizmente não costumamos ter tanto conhecimento. Muitos dos deuses conseguimos supor pelas características ou por pesquisas, o que faz com que a leitura do livro seja mais complicada. Essa foi uma das partes que manteve minha atenção porque vemos a quantidade de pesquisa, conhecimento e informação contida em uma obra.
Tudo bem. Boa pergunta. Eu sou a caixa dos idiotas. Sou a TV. Eu sou o olho que vê tudo e sou o mundo do raio catódico. Eu sou o tubo dos tolos… o pequeno altar na frente do qual a família se reúne para adorar. (...) A TV é o altar. Eu sou aquilo pelo que as pessoas se sacrificam. (...) O tempo que tem. Às vezes, umas às outras…
 Esteja disposto a acreditar. É isso o vai prender sua atenção durante esse livro completo e cheio de informações. Aproveite a pausa da série para a leitura, apenas 1/5 do livro foi feito na primeira temporada então ainda há muito material para ser utilizado. Deuses Americanos é uma obra de reflexão, histórica e ficcional onde Gaiman, mais uma vez, nos entrega um trabalho impecável.

3 comentários:

  1. Adorei a resenha, ainda não li o livro mas estou apaixonada pela série. Shadow é supreendente, imagino que deve ser mto melhor a história pelo livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu não havia escutado nada sobre esse livro , essa resenha ficou 10.

    ResponderExcluir