9 de novembro de 2016

Livros | O Demonologista



O Demonologista é um livro de Andrew Pyper, publicado em 2015 pela editora DarkSide que se destaca incrivelmente pelas edições impecáveis visualmente, cheias de ilustrações significativas e de um cuidado externo incrível. A edição a qual estou me referindo vem até com marcador de páginas de cetim, um trabalho de acabamento para dar impressão de exemplar antigo e surrado. 

Pyper é um premiado autor, dono de títulos famosos como Lost Girls (1999), e The Killing Circle (2008), ambos citados pelo New York Times. Muito se fala sobre seus romances e alguns estão sendo adaptados para o cinema, mas ainda não há informação concreta de que isso aconteça e se realmente acontecer, O Demonologista é um dos filmes cotados. 

O livro conta a história de David, um professor especialista na obra de John Milton, O Paraíso Perdido, escrito em 1667, uma obra que recria o conflito entre Lúcifer e Deus com uma metafísica monista e uma espécie de materialismo cristão. David também é especialista em demônios, porém, completamente cético. Após o encontro com uma mulher para um trabalho em Veneza, uma proposta suspeita, ele aceita e resolve levar sua filha junto, afinal, viajar para Veneza com tudo pago é praticamente férias. A situação em Veneza é completamente confusa, mas muito bem narrada, David presencia um fenômeno bizarro e filma o que vê, mas fica assustado e percebe que não deveria ter se metido naquele trabalho. 

O problema começa quando a filha de David desaparece. Ele a encontra um tempo depois mas a garota some novamente. Parece que a história é bem complicada mas a narração dos fatos é fantástica. É aí que o título entra em ação. A polícia tenta mostrar para David que sua filha está morta mas tudo o que ele consegue aceitar é que a garota foi levada por algum tipo de demônio. E a saga começa aí, assim como as cenas mais pesadas do livro. 
"Sua melancolia. Ou depressão. Junto com nove entre dez das doenças que estudei, diagnostiquei, busquei tratar. Chame do que você quiser, mas são só nomes diferentes para a solidão. É o que deixa a escuridão entrar. É contra isso que você deve lutar."
Não é um livro de terror! Não mesmo. O livro é muito detalhado e isso em alguns momentos é problemático, já que o amontoado de informações não agrega absolutamente nada ao livro e à narrativa em si. A descrição excessiva quebra um pouco a magia da imaginação, já que tudo é descrito com muitos detalhes e faz com que você tenha tudo em sua mente muito fácil. 

O final foi bem confuso para mim. Você se perde entre saber o que ocorreu de verdade já que muitas coisas que ocorrem com David, apenas ele pode ver. Há uma linha tênue entre um surto e um fato conciso. A obra de Milton, que é citada o tempo todo - sendo até massante - leva a história até o final, como se o livro fosse um tipo de mapa do tesouro até o desfecho, que é aberto a interpretações. 

O livro é um suspense que realmente te prende e é interessante por todas as referências entregues e a forma como a história é amarrada do começo ao fim. Há uma queda do meio para o final da obra, mas não prejudica o todo da história. O final poderia sim ser um pouco melhor explicado mas a forma como o autor deixou que isso ficasse aberto a cada um, torna um pouco mais interessante. Vale a pena! 


4 comentários:

  1. Que blog lindo, sério! Amei a fotografia do Blog e a delicadeza dos posts.
    ;*

    ResponderExcluir
  2. Solicitei esse livro outro dia no Skoob, sabe quando você espera loucamente por um livro? É assim que estou no momento, gostei de saber que a história não é "birraza" e sim um suspense bem legal.
    Quero ler logo.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom mesmo, assim como a maioria dos livros publicados pela editora Darkside! Depois de ler me conta o que achou.
      Beijinhos <3

      Excluir

Do pouco que sei | Blog de fotografia, seriados, filmes e crônicas © , All Rights Reserved.