15 de setembro de 2016

Filmes | 5 adaptações de livros

 

"Tenho tido sonhos que ficam comigo o resto da vida e alteram minhas idéias. Vão mergulhando dentro de mim, como o vinho mergulha na água e mudam a cor do que penso."

O primeiro filme da lista é na verdade um especial produzido por uma emissora britânica em 2009. A adaptação do livro de Emily Brontë é a minha preferida, conseguindo eliminar alguns problemas que a adaptação de 1992 com Ralph Fienes e Juliette Binoche não conseguiu entregar. O romance de 1847 (meu preferido) é uma história sobre vingança. Bem diferente do que todos esperam de romances, este é cheio de sentimentos intensos e ruins. O especial produzido em 2009 começa pelo que seria a metade do livro, mas consegue encaixar perfeitamente a volta na linha do tempo, o que é muito bem trabalhado, diferente do filme original de 92. Como fã do livro, esta é a adaptação mais sincera ao livro, onde Heathcliff (Tom Hardy) é mais real e sentimental em relação a sua devoção à Catherine (Charlotte Riley) e esta é fiel as características dadas por Brontë em seu livro. 
4,5 em relação ao livro. 
O especial pode ser visto no youtube, é só clicar aqui.












“Me apaixonar pelo Adam foi como aprender a voar. Era empolgante e assustador ao mesmo tempo.”

'Se Eu Ficar' foi uma das adaptações que fiz o caminho contrário, primeiro vi o filme e depois li o livro. O livro de 2009 conta a história de Mia (Chloë Grace Moretz) e de como sua vida é modificada após um acidente de carro com a sua família. O filme é cheio de flashbacks enquanto a garota tenta se recuperar do acidente no hospital. O romance de Gayle Forman tem um tom espiritual assim como Um Olhar No Paraíso (2009). Mia consegue ver o seu corpo no hospital e toda a movimentação que ocorre em volta, enquanto tenta descobrir como acordar e se ela realmente quer sobreviver após a tragédia. Enquanto isso somos cortados pelas cenas de romance entre ela e Adam (Jamie Blackley), um aspirante a rock star. O filme é rápido e é bem gostoso de assistir, apesar de que, se comparado com o livro vemos cenas muito mais sutis e romantizadas. Adoro o tom musical da história e as cores do filme, que são modificadas de forma sutis para se adaptar a história de Mia. A trilha do filme é um amor! E para quem gostar do filme/livro, vale a pena ler a continuação, Para Onde Ela Foi (2011) que é um pouco mais maduro do que o primeiro. Guardem uns lenços para a cena de Mia com o seu avô no hospital! 
3,0 em relação ao livro. 




" ' Sempre que você sentir vontade de criticar alguém’, ele me disse, ‘lembre que todas as pessoas do mundo não tiveram os privilégios que você teve.' " 

O Grande Gatsby, um clássico da literatura americana escrito por Scott F. Fitzgerald que foi publicado em 1925, virou filme em 2013 com direção de Baz Luhrmann (Moulin Rouge, Romeu + Julieta). O livro foi escrito 90 anos atrás e isso pode ser um impasse se você não tiver o costume com leituras um pouco mais rebuscada, mas, por outro lado é escrito muito de forma impecável, trazendo detalhes de uma vida luxuosa mas cheia de caos. Achei algumas pequenas discrepâncias desnecessárias, principalmente no início do filme mas vejo de forma positiva para o roteiro. O livro e o filme se fazem complementarem, na minha opinião. O tom do filme é alegre e divertido enquanto o livro é um pouco mais sincero e ríspido. Assim, são visões complementares de um mesmo assunto. A cena onde 'Young and Beautiful' da Lana del Rey toca enquanto Daisy conhece a mansão de Gatsby é muito bonita, a fotografia - não só desta cena, mas do filme inteiro - é incrível. 
3,5 em relação ao livro.



“Então o cômodo ficou escuro e de alguma maneira, apesar do caos se que surgiu, Bruno percebeu que ainda estava segurando a mão de Shmuel entre as suas, e nada no mundo o teria convencido a soltá-la”. 

É pra chorar e chorar muito. Quando li 'O Menino Do Pijama Listrado' me lembro de sentir uma tristeza enorme pela forma como o autor, John Boyne retrata a inocência das crianças. O ambiente é propenso para tristeza, a segunda guerra mundial, mas diferente do que se espera, o livro é narrado por um garoto de oito anos, Bruno (Asa Butterfield), então não há nada muito agressivo descrito na leitura, é tudo muito subentendido através do seu conhecimento nesta fase da história mundial. Já o filme, todos os fatos são mostrados além da visão do garoto, o que deixa tudo um pouco mais melancólico mas ainda assim, não chega a ser violento. O final do filme é o meu preferido, muito mais forte e emocionante. A narração do livro faz com que o momento seja muito breve, então perde-se um pouco do impacto do momento. Este é um dos poucos casos onde o filme é provavelmente a minha escolha pelas várias visões, fugindo um pouco da história leve e com tom infantil do livro. Ambos são infinitamente sensíveis. 
4,0 em relação ao livro. 



"Frequentemente, vejo-me cometendo esse tipo de erro – disse Elinor – com ideias totalmente falsas sobre o caráter de alguém em um ou outro aspecto; imaginando as pessoas muito mais alegres ou tristes, ou inteligentes ou estúpidas do que realmente são." 

'Razão e Sensibilidade' de Jane Austen foi publicado pela primeira vez em 1811 e adaptado aos cinemas em 1995 pelo diretor Ang Lee (As Aventuras de Pi, O Segredo de Brokeback Mountain). O livro gira em torno da família Dashwood especilamente Elinor (Emma Thompson) e Marianne (Kate Winslet) e como a vida da família muda após o pai das garotas morrer então eles se vêem sem muito dinheiro e com a propriedade como única forma de salvação social. Romances são desenrolados a partir do momento em que as duas irmãs são obrigadas a viverem de forma mais humilde. O filme é ambientado em 1800 então a caracterização no filme e a personalidade das personagens é muito bem ambientado. O livro é um pouco devagar mas toma um ritmo bem melhor a partir do momento onde elas vão para Londres. O filme é realmente ótimo, os aspectos que são necessários para tornar a adaptação fiel são levados em conta e todo o elenco parece saber o que é necessário para passar as características de cada personagem. 
Você pode alugar o filme legendado pelo youtube por R$ 3,90. 
4,0 em relação ao livro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Do pouco que sei | Blog de fotografia, seriados, filmes e crônicas © , All Rights Reserved.