28 de julho de 2016

Filmes | Os meus filmes preferidos

Sou uma pessoa um pouco viciada em filmes, se eu fosse escrever todos que eu amo, ia durar uma semana. Então resolvi escolher três dramas, que de algum modo marcaram a minha vida e pelos quais sou completamente apaixonada.



Esse filme que acabou com a minha vida, é uma adaptação do livro de David Nicholls, e conta a historia de Dexter Mayhew e Emma Morley - interpretados brilhantemente por Jim Sturgess e Anne Hathaway – que se conhecem no dia 15 de julho de 1988 e acabam passando a noite juntos após a festa de formatura da faculdade. Mas o que era para ser uma noite apenas de diversão acaba numa relação muito forte de amor, mas não no sentido romântico da palavra. Os dois viram amigos, melhores amigos e a partir de então, encontramos com nossos protagonistas todo dia 15 de julho, durante vinte anos. Às vezes eles estão juntos, às vezes não e em algumas vezes eles estão até sem se falar. Mas somente nesse dia de cada ano podemos ver como a vida de cada um está andando.

Acho que nada do que eu diga aqui, expressaria com clareza o que sinto ao ver o filme, ele mexe muito comigo, pois não se trata apenas de um filme que conta uma estória de amor, mas que mostra como este amor atravessa os anos e o que causa na vida de duas pessoas, mostra a vida da forma como ela é, cheia de altos e baixos, cheia de tristeza e alegria, de encontros e desencontros, de esperanças e desilusões, de arrependimentos e memórias. Eu recomendo muito, é simplesmente maravilhoso.




Eu  sou louca por filmes que mexem com a mente, que fazem você ter que pensar para entendê-los, que brincam com a ordem cronológica dos acontecimentos com maestria, sem te deixar confuso mas que te faça ter que parar e analisar. Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças é um dos poucos filmes que conseguem quebrar sua cabeça e seu coração ao mesmo tempo. As reviravoltas, por mais confusas que possam ser, conseguem se dirigir para um final surpreendente e inesquecível. Em dimensões novas e inesperadas, você nunca questiona o que está havendo, por que há uma lógica sedutora e misteriosa para cada momento do filme.

Ele conta a história do romance peculiar de Joel e Clementine, interpretados por Jim Carry e Kate Winslet. O fato é que Clementine era dona de uma personalidade única, intensa e diferente, já Joel era super calmo e sério. Resumindo, completos opostos. Depois da relação dos dois não ter dado certo, Clementine resolve apagar Joel de sua memória e quando ele descobre que sua amada teve coragem de fazer isso, resolve fazer o mesmo com ela. Porém no meio do processo ele acaba se arrependendo, e ai começa uma luta no interior de Joel contra esse tratamento.
Esse filme maravilhoso, nos faz refletir sobre a ideia da perda, com uma veracidade sem igual, e ver que é preciso reconhecer o amor quando ele bate a porta, pois a perda em alguns momentos pode ser irremediável.



Baseado na obra de Emma Donoghue, o filme conta a história de Jack, um menino de cinco anos que é criado por sua mãe, carinhosamente chamada de Ma. Como toda boa mãe, ela se dedica a manter seu filho feliz e seguro. Contudo, a vida dos dois não é nada normal: eles vivem em um cativeiro. Enquanto a curiosidade de Jack aumenta, a resistência de Ma alcança um ponto de ruptura. Os dois, então, começam a traçar um plano de fuga, o que os leva a ficar cara a cara com o que pode ter se tornado a coisa mais assustadora, o mundo real.

Apesar de ser um filme super novo, já vi umas 5 vezes, e desde a primeira ganhou meu coração de uma forma inexplicável. Os atores, tanto a Brie Larson, quanto o Jacob Trembley foram brilhantes em suas atuações, formaram uma bela parceria e assumiram a responsabilidade em diferentes momentos do filme. É maravilhoso o desenrolar da trama, conta de uma forma tão bonita uma historia traumática e devastadora, mas com um final surpreendente e emocionante. Uma certeza é que esse filme consegue amolecer o mais duro dos corações, e como o meu é de manteiga, chorei um lago inteiro, como vocês já podem imaginar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Do pouco que sei | Blog de fotografia, seriados, filmes e crônicas © , All Rights Reserved.