19 de junho de 2016

Crônica | Eu não queria


Eu achei que nunca superaria o momento em que ele me mandou tirar a roupa. Por várias noites seguidas eu jurava que o ouvia, ao pé do meu ouvido, proferir suas palavras abusivas. "Mas ele nem te tocou" alguns diriam. Ainda bem, você consegue imaginar o dano de ter alguém tocando o seu corpo quando você não o deu permissão? Consegue imaginar a dor de se olhar no espelho e só conseguir ver o rastro que aquelas mãos sujas deixaram em seu corpo?

Eu me perguntei se a culpa era minha. Será que eu estava no lugar errado? Eu usei a roupa errada? Será que preciso rever a forma como me comporto? E não encontrava resposta para nada disso. E me doía, doía tanto quanto não conseguir esquecer. A repulsa ainda sobe em meu corpo cada vez que lembro. Perdi a conta de quantas vezes caí no choro e me escondi no banheiro. Durante muito tempo eu nem dormi direito.

Mas e ele? Será que por um segundo se arrepende? Será que tem filhas, que estava drogado? Será que viu em mim uma chance de derramar toda a sua necessidade sexual? O que é que eu fiz? Eu só conseguia chorar naquele momento, o que foi que eu fiz? 

Me mandaram procurar um terapeuta, uma ajuda, mas eu imaginava em seus olhos o julgamento por ter tido medo e deixado que ele olhasse o meu corpo, que da maneira mais doentia, me desejasse. "Tem mulher que gosta", é o que alguns pensam. Sei que alguns pensariam que eu estava gostando de ser observada, pensou que eu fosse algum tipo de fetiche. Eu só queria sair dali, só queria que me tirassem daquele lugar o mais rápido possível. 

Eu só queria um colo. Queria me livrar do trauma enorme que aquelas palavras me causaram. Queria limpar meu corpo do olhar nojento que recebeu e limpar minha consciência, tão pesada e confusa com o peso da situação. Eu só queria que entendessem que eu não queria, eu queria gritar e pedir que me deixasse em paz, mas não se pode brincar com armas e eu… eu sou só uma garota, sabe? 
Queria que entendessem. Eu não pedi nada disso. Eu sinto culpa de um erro que não foi meu, sinto nojo de um corpo que me pertence mas que me traz uma recordação tão ruim que as vezes dói. Dói cada osso do meu corpo quando a recordação me leva de volta à aquela noite.
Eu só queria a liberdade que me foi prometida, eu só queria ser livre.

Se você passou por isso, conhece alguém que passou ou algum dia presenciar qualquer tipo de abuso, denuncie. Muitas são as violências sexuais sofridas diariamente por uma mulher. DENUNCIE! #TemQueFalar


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Do pouco que sei | Blog de fotografia, seriados, filmes e crônicas © , All Rights Reserved.