Crônica | O rastro que ficou

Foto: Reprodução/ Tumblr


Foi a última vez que ela o viu. Olhou em cada centímetro do seu rosto para manter sua feição guardada em sua mente. Queria que ele a visse tão bonita quanto ela o via. O barulho do café era insignificante perto do som que fazia em sua cabeça. E se. Alguma música do Miles Davis tocava baixo pelo ambiente e a noite lá fora era tão fria quanto a situação entre eles. Eles se olharam rápido e ele sorriu sem graça, incomodado com o silêncio constante que teimava em rondar. Ela abaixou a cabeça e suspirou, se encolhendo na cadeira. O garoto não sentia nada naquele momento, não havia tristeza e nem amor, nem sequer o rancor - que ele pediu tanto para sentir - não estava ali. Foi ele quem falou primeiro. 

-Eu não estou mais feliz. 
-É, eu também não. 
-Não é que eu não goste de você, é que eu deveria te amar. Você entende, certo? 
-Sim, eu entendo. 

(Silêncio) 

-Já tentou lembrar do porquê me amava antes?
-Já.
-Não adiantou?
-Não.

(Silêncio)

-Posso te ligar se eu sentir sua falta? Se eu sentir saudades? 
-Liga sem sentir, por favor, liga. 

Ela apoiou o queixo na palma da mão e desviou o olhar do dele. A mesa toda balançava com a inquietude do garoto, que insistia em balançar a perna contra o chão. A garota o olhou e franziu o cenho, trazendo todas as recordações à tona. 

-O que você está pensando? 
-Estou lembrando daquela tarde no parque, você se lembra?
-Sim, de cada letra, cada palavra. 
-Você se lembra do que prometeu?
-Sim. 

(Silêncio)

-Me desculpe. 
-Por?
-Não cumprir as promessas. 
-Tudo bem, me acostumei. 
-Não faça isso, por favor. 
-O que?
-Se acostumar. 

(Silêncio)

-Alguma coisa se perdeu entre nós dois. 
-Para onde foi?
-Foi embora, não vai voltar, você sabe disso. 
-É uma pena, eu gostava daquilo. 
-Eu também. 

Não que tenha morrido ou acabado. Com o passar do tempo os dois sentiam a falta um do outro, mas aquilo nunca foi o bastante. O amor não voltou, a saudade foi embora e as lembranças foram se apagando aos poucos. Mas o rastro, o rastro ficou. 


2 comentários: